segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Liberdade!

A liberdade que nos faz “imagem” de Deus. 
Se ELE não nos tivesse feito livres, seríamos como robôs, ou marionetes, 
ou teleguiados; não seríamos semelhantes a ELE.
Para garantir a nossa dignidade Deus nos fez livres, capazes de escolher 
o bem e o mal, e até de virar as costas para o próprio criador.
Quando a sociedade quer punir o homem, por ele abusar da liberdade, 
então a tira, colocando-o na prisão. 
O pecado é sempre um “abuso da liberdade”, isto é, o seu mal uso. 
Você só poderá dar-se integralmente alguém, e amar, 
se você for verdadeiramente livre. 
Mas hoje existem muitas “caricaturas” da liberdade, assim como do amor. 
Muitos se enganam pensando que ser livre é poder dizer “eu faço o que quero”.
Muitos pensam que ser livre é não ter Leis para obedecer, dogmas a aceitar
 ou verdades pré-fixadas a acolher. 
É um engano.
Portanto, não diga que você é livre porque faz o que quer, independente 
da vontade de Deus e dos homens. 
Ser livre não é “fazer o que você quer”, sem restrições. 
Esta é a liberdade do animal, que não possui a luz da inteligência e 
a força da vontade para guiar os seus passos e manter-se de pé. 
Será que na empresa que você trabalha, você só faz o que quer, 
chega na hora que quer, e só realiza o que tem vontade de fazer? 
É claro que não, você obedece ordens, normas e horários.
Jamais diga que ser livre é fazer o que você quer, sem restrições. 
A sua liberdade não depende só do seu corpo, mas do seu espírito, acima de tudo. Mesmo que você esteja numa cela ou preso numa cama, ainda assim é possível ser livre, porque nada e ninguém podem aprisionar o seu espírito. 
Na verdade, é você mesmo quem limita a sua liberdade, quando permite ser conduzido pelos caprichos do seu corpo ou pelas manhas da sua sensibilidade. 
Esta é a pior escravidão. 
Você pensa que é livre, mas na verdade você é dominado pelos instintos.
Ser homem, é exatamente vencer os instintos que nos querem roubar o dom precioso da liberdade, que custou até o sangue de Jesus. 
Podemos prender um navio ao cais do porto por muitas cordas; mas enquanto ele estiver preso por uma só corda, ainda não poderá navegar livremente, mar adentro, 
até o seu destino. 
Você não estará livre enquanto qualquer amarra o impedir de caminhar.
Se você estiver preso demais a alguma coisa, ainda não é livre. 
Se você se apegou a alguém de maneira descontrolada, deixou de ser livre. 
Se você é escravo de algum vício, então é claro que você não é livre plenamente. 
Se os instintos do corpo ou da sensibilidade, o “pegam pelo nariz” e 
o obrigam a satisfazê-los, então, é claro que você não é livre.
A liberdade, portanto, não é estar livre de leis, verdades e dogmas sagrados, 
mas é estar livre de nossos vícios. 
A liberdade pode se transformar em libertinagem, abuso da liberdade. 
Isto acontece quando você quer ser livre sem respeitar a “verdade” 
e a “responsabilidade”. 
Elas são os trilhos sobre os quais a liberdade deve caminhar para não enlouquecer, 
e não fazer de você um libertino.
LIBERDADE sem VERDADE é loucura. 
LIBERDADE sem RESPONSABILIDADE é depravação.
Existe uma verdade científica, religiosa e moral...
Que a liberdade tem que obedecer para ser autêntica. 
Liberdade é esta no centro da vontade de Deus.
É aceitar todas as coisas que Deus coloca em seu caminho, sabendo, 
sem dúvida aproveitá-las de forma saudável e consciente! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário