sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Um edifício no meio do mundo


"Os meus olhos cheios d'água
Seu mar vazio
Qual é o fio que nos une e nos separa?

Eu quero o seu sorriso
No correr da minha hora
E não falta nada pra gente ser FELIZ agora

Só por você eu dei até o que eu não tive
Há tantos que vivem, sem viver um grande AMOR
Eu que sonhei por tanto tempo em ser livre
Me PRENDA em seus braços
É o que eu te peço

Somos um barco no meio da chuva
Um edifício no meio do mundo
Fortes e unidos como a imensidão
Um passeio no meio da rua
Vamos dias e noites afora
Agora podemos ver na escuridão

Só por você eu dei até o que eu não tive
Há tantos que vivem, sem viver um grande AMOR
Eu que sonhei por tanto tempo em ser livre
Me PRENDA em seus braços
É o que EU te peço."

Nenhum comentário:

Postar um comentário