sábado, 22 de outubro de 2011

Amor... palavra curta com significado imenso!!!

Posso me arrepender do que estou fazendo neste exato momento, posso me arrepender de escrever á você as palavras a seguir, PORÉM, me arrependerei mais ainda em não dizer o quanto é IMPORTANTE na minha vida!!! Então, prefiro ouvir meu coração, estou sendo consumida a cada minuto dos meus dias, é comum, um misto de dor, tristeza, mágoa, desolamento, medo, dúvida, frustração e desespero, tomar conta do mundo emocional que nessas horas estou vivendo e os sentimentos estão tão intensos e misturados que é até difícil identificar o que se sente, só sei que estou sofrendo por AMOR.
Tristeza: é um sentimento humano que expressa desânimo ou frustração em relação a alguém ou algo. É o oposto da alegria. A tristeza pode causar reações físicas como depressão nervosa, choro, insônia, falta de apetite, e ainda, reações emocionais, como o arrependimento.
A tristeza toma conta de nós quando perdemos alguém que se tinha de muito valor...  esta emoção pode ser potencializada se aquele que sofre de tristeza passa a acreditar que poderia ter feito algo para recuperar ou evitar a perda, mesmo que este algo a fazer seja na prática impossível de se concretizar, e independente da vontade do triste, porém, isso só ocorre quando as pessoas que amamos voltam ao convívio DAQUELE que o deu vida: DEUS. Caso contrário, é possível concretizar aquilo que mais desejamos na vida.
É comum a tristeza ser descrita como algo amargo, ou como uma dor, ou como sentimento de incapacidade, ou ainda como algo escuro (trevas).
A tristeza pode ser a consequência de emoções como o egoísmo, a insegurança, o medo e a desilusão. São emoções que, quando não são tratadas logo, podem terminar gerando infelicidade, arrependimento profundo e vazio no peito.
Será que merecemos isso? Será que o amor dói? Será que existe dor de amor?
Amor não dói. Amor cura e equilibra.
O que dói no final é a despedida, é não sermos atendidos em nossos desejos, ou ainda, pensar que a pessoa AMADA a esquecerá com o passar dos dias...
O apego e o sentimento de posse também fazem sofrer e crer que não há possibilidade de vida fora daquela forma de se relacionar... é ter a sensação de que a solidão, o vazio, a saudade tomam contam da sua vida...
Todavia, quando o que prevalece em nossos sentimentos é o AMOR, não há espaço para medos, dúvidas ou desespero.
Mas se eu amo tanto, como pode, de repente, o amor virar isso? Tanta tristeza?
O que normalmente ocorre é que o amor convive com nossas inseguranças, com nossos medos e dúvidas, com os apegos, com o ciúme, com o orgulho, com o egoísmo e com todas essas nossas facetas tão humanas que ainda não foram suficientemente educadas e trabalhadas, e que por isso, numa crise podem tornar-se predominantes escondendo ou turvando o amor por causa das urgências e das necessidades que nos impõem.
Assim, ao perdermos o contato com o AMOR, não somente com o amor que sentimos pelo parceiro, mas principalmente com a capacidade de amar, o sofrimento toma conta de nosso mundo interior fazendo com que se ache que o que está nos fazendo sofrer é o amor que nutríamos até então.
Mas sentir amor não dói.
Quem ama de forma aberta, madura, quando vê partir seu companheiro ou se vê envolto numa crise relacional, sente tristeza, o que é normal; às vezes, até um inconformismo momentâneo, talvez uma pitada de raiva, mas o amor, ou a capacidade de amar, por ser maior que todos esses sentimentos, é predominante e tem o poder de reequilibrar este coração, que se sente forte e vitorioso, ainda que arranhado. E, mantendo-se sereno, não cultiva desejos de revide, nem desesperos, nem dúvidas, medos ou ódios. Quem ama sente-se capaz de amar sempre e de novo, e mais uma vez, se preciso for... porém, ama-se a mesma pessoa... mesmo que distante.
O grande desafio da vida, então, é aprender a amar de verdade. Aprender a construir em si um amor que não seja esquecido no primeiro erro do ser amado, que não se esconda quando o ego não se sentir atendido em seus desejos ou caprichos. Amor que consiga enxergar suas próprias necessidades permanecendo em contato com as necessidades do seu parceiro criando um equilíbrio no querer.
Amor capaz de sacrifícios sem lamúrias.
Amor capaz de perdoar e seguir em frente acompanhando o soerguimento daquele que errou.
Amor capaz de encher a vida de felicidade.
Portanto, se sentimos que sofremos por causa de uma relação afetiva, ao invés de culparmos o amor, seria mais interessante se perguntar se o sofrimento não foi causado por insistirmos em nos anular, por insistirmos em não enxergar aquilo que diante dos nossos olhos está. Ou ainda por queremos preservar o comodismo, afetando assim, a nossa sensibilidade, nos levando a sofrer.
Um coração magoado, triste, infeliz, não consegue fazer alguém FELIZ...
Aprendendo a amar, libertamos a nós mesmos de muitos sofrimentos e melhoramos a qualidade das relações afetivas transformando-as em relações verdadeiramente amorosas.
Acredito que melhor seria dizer que o que pode nos trazer dor é não sabermos conviver e nem nos comunicar bem; é o perfeccionismo que atrelamos ao sucesso da relação afetiva; é querer moldar o outro à imagem que temos do ideal procurado; é não termos autoconhecimento; é pensar que o outro tem poder de nos fazer felizes ou infelizes; é achar que temos poder e direitos sobre a vida do companheiro; é acreditar que se vive um conto de fadas e por isso entender que o ser amado é infalível, incapaz de ferir, e que nós somos especiais, de tal forma que, ninguém pode nos trair, aborrecer, ou nos deixar.
Assim, a todos os que reclamam das dores de amor, ofereço, primeiramente, o conforto restaurador e equilibrador das belas forças da natureza e, a seguir, o antídoto para seu sofrimento que vem do autoconhecimento associado á reconexão com seu propósito de vida, com suas qualidades e virtudes, especialmente, acreditem, a do AMOR.
E ao permitir o AMOR, inunde o nosso mundo interior, renovam-se as forças da vida, a coragem de prosseguir e a possibilidade de ser feliz.
Não sei o que sentiu um dia por um, ou se sentiu alguma coisa... só sei que eu senti, sinto e dificilmente deixarei de sentir... meu coração não encontra forças, meio e nem soluções para este sofrimento que me consome a cada minuto.
Eu NUNCA vou esquecê-lo... meu coração está apertado, dolorido, ferido, machucado... porém, esse mesmo coração busca incansavelmente o seu AMOR... Queria ser uma fada para ter o dom de encantar sua vida, de te fazer me AMAR e viver completamente FELIZ...
Estou ficando doente... doente de AMOR... é o pior vazio que um coração pode sentir...
Se um dia eu consegui de alguma forma completar você, fazê-lo FELIZ, preencher seu coração ou ainda aflorar sentimentos de paixão, amor... cultivarei a esperança de dois corações não poderão ser infelizes para preservar apenas um, ou seja, duas pessoas não podem deixar de se AMAR e viver por simples anulação de si próprio.
Pense na sua vida... e nunca duvide do meu AMOR por você!!! Tudo que senti e sinto é real, existe e me persegue por todos os segundos dos meus dias!!! EU AMOOOOO você!

Nenhum comentário:

Postar um comentário